segunda-feira, junho 21, 2010

segunda-feira, junho 14, 2010

MARISTELA JUST – JUSTIÇA FOI FEITA!






Em 4 de abril de 1989, no município de Jaboatão dos Guararapes, Maristela Just, uma jovem mulher, cheia e vida, com plena aspiração e expectativa de realizar um futuro promissor – faltava pouco para formar-se em sociologia – foi barbaramente assassinada com três tiros pelo ex-marido, na frente da filha Nathalia de 4 anos e do filho Zaldo de 2 anos, da maneira mais torpe que se possa imaginar. Acontece, que as crianças além de terem sido testemunhas ocular do crime foram vítimas do próprio pai que, não satisfeito, continuou atirando contra a própria filha Nathalia que foi atingida no ombro e, também no filho mais novo Zaldo, que levou um tiro na cabeça, além de voltar a arma contra o cunhado Ulisses quando ele tentou socorrer a irmã, sobrinha e sobrinho.
Dessa tragédia sinistra em que Maristela, faleceu, a filha e o filho, sobreviventes ficaram, até hoje, com seqüelas não só físicas, como emocionais.
Mas, essas crianças que cresceram órfãs, sem nunca esquecerem tudo porque passaram todos esses anos, desde aquele dia quando perderam a mãe e tiveram que conviver com tão triste realidade: o carrasco da mãe ser o próprio pai e, ainda por cima, nunca ter pago pelo crime cometido ao ver o julgamento sendo estendido anos a fio, resolveram tomar uma decisão. Iriam envidar todos os esforços para o julgamento não ser mais adiado e que a justiça, fosse feita com a condenação do acusado por todos os crimes cometidos.
Enfim, depois de 21 anos, viram perante o tribunal de júri o processo resultar numa ação condenatória 79 anos para José Ramos Lopes Neto, o assassino de Maristela Just, que até esse momento em que estou postando o fato acontecido neste blog se encontra foragido.No entanto, Nathalia e Zaldo continuam na esperança de que “o bandido” que matou a mãe seja preso e cumpra toda a pena na prisão.
Para isso fizeram um site onde continuam a lutar para a justiça ser cumprida integralmente.
Posto aqui a carta do filho da vítima – Maristele Just, logo depois do julgamento acabar quando saiu o anúncio da condenação do réu, atualmente, procurado pela justiça para que cumpra a pena recluso em uma cadeia:


Mãe,
Hoje por incrível que pareça, é o dia mais feliz de toda minha vida, pois depois de longos 21 anos de manobras, procrastinagens, dor, mágoa, tristesa que envolve a familia JUST, conseguimos com que a JUSTiça fosse feita, tudo bem mãe, foi duro, foi dolorido passar todo este tempo impune, calados tendo de aguentar toda essa impunidade que é a JUSTiça brasileira mãe, mas este dia de hoje, como já falei, é o dia mais feliz de minha vida, pois foram esses exatos 21 anos de aguardo, de medo, de angustia, que fizeram com que eu e Nathalia crescessemos fortes e maduros o suficiente pra ter forças bastante para podermos gritar por você mãe. Foram esses 21 anos que a familia da gente se fortaleceu junto a tudo e todos. Mâe, na época do fato mãe, eu tinha apenas 2 anos e 9 meses, acho que foi algum milagre de Deus que fez com que eu não morresse mãe, porque acredito que era para eu estar vivo hoje, eu tenho algum propósito aqui na Terra mãe, e este acredito eu, que seja fazer nossa JUSTiça, assim estando hoje junto com todos os familiares gritando por você la no julgamento de seu assasino. Mãe, não pude ter minha vida ao seu lado, porém guardo por toda minha vida você em meu coração e em meus sentimentos, vejo você em meus álbuns de fotografia...E mãe, como Nana mesmo disse em entrevistas passadas, você fez de tudo que podia enquanto teve tempo de estar conosco, aproveitou todos os momentos que podia, fez nossas fantasias de carnaval, festas de aniverssario, acho que, você naquela época já imaginava que não poderia estar conosco durante toda nossas vidas, fazendo assim o maximo de proveito de nossa companhia.Mas mãe, eu e Nana conseguimos mãe, contra tudo e contra todos, esse tempo todo estávamos lutando, fazendo de tudo que estava ao nosso alcance para que essa justiça fosse feita. Hoje mãe, dia 1° de junho de 2010 , pois é, precisou que seus filhos que você tanto ama, cresceçem e precisaram se expor para que essa JUSTiça fosse feita. Estou muito feliz hoje, muito mesmo; eu junto com toda nossa família, que nos acolheu com um carinho importantissimo. Eu e Nana hoje em dia brincamos,dizendo que perdemos você naquele dia, mas ganhamos mais 5 mães, todas da família hoje são nossas mães, mas infelizmente a minha ‘’original’’ eu não tenho mais. Pois é, eu gostaria tanto, mas tanto de poder conviver toda minha vida com você, ter todos os momentos importantes e menos importantes de minha/nossas vidas juntos, porém seu assasino não deixou mãe, pois, ele tinha inveja de você, pois você era uma mulher linda, bondosa, carismática, não queria o mal de ninguém, pois é mãe, a inveja e muito grande, faz muito mal, e mata! Foi esse mal que fez com que seu assasino, que não gosto nem de citar o nome dele, te levasse mãe, mas podes ter a total certeza deste mundo que estarás sempre viva em meu coração.Mãe, estou aqui agora nesse momento com Nana aqui no quarto mãe, e estamos extremamente felizes por esta JUSTiça ter sido feita, é mãe, a justiça do homem tardou mas não falhou, e hoje seu acusado foi setenciado, 79 anos de reclusão, eu ainda acredito que seja pouco pelo tudo que ele fez e vem fazendo por todos esses 21 anos, que junto com o pai, fez de tudo para que esse seu julgamento nunca ocorresse, porém nossa familia com muita garra e muita luta conseguiu fazer com que todos nós saíssemos premiados com tal sentença. Sabemos que não é o fim, AINDA.
De seu filho,
Zaldo Just Neto